PALAVRAS DO REBE YEHUDAH
Mulher judia

Algumas pessoas tem perguntado se o judaísmo é machista. Para que nosso leitor conclua por si mesmo qual é a posição da mulher judia dentro do judaismo deve ler atentamente cada uma das palavras a seguir. Como todo judeu sabe nosso guia é a Torah e começaremos então com a Torah através das palavras do Rei Salomão, Shlomo Hamelech. Rei Salomão é o mais sábio dos homens que até hoje existiram e suas palavras escritas em Mishle, Provérbios, capítulo 31, foram transformadas em música e nós a cantamos todas as sextas-feiras à noite, à mesa, antes da primeira refeição do shabat sagrado. A seguir um trecho:
“Uma mulher valorosa, quem a encontrará? Pois o seu valor está acima do das jóias mais finas! O coração do seu marido confiança nela plenamente, e fortuna não lhe faltará. Ela faz o bem e evita o mal por todos os dias de sua vida. Busca lã e linho e com alegria trabalha com suas próprias mãos. Como os navios mercantes, de longe provê seus mantimentos. Levanta-se quando ainda é noite,  prepara alimento para a família e porções para suas servas.
E
Coopera com os pobres e necessitados. Seu marido é respeitado nos portões quando senta os sábios da cidade. Só abre a boca com sabedoria, e sua língua sabe ensinar com bondade e paciência. Seus filhos se levantam e a abençoam, juntos com seu marido, que a elogia dizendo: “muitas são as mulheres de valor, mas tu a todas sobrepujas!”
A beleza é passageira e a formosura é vã, mas a mulher que teme ao Eterno, será sempre valorizada. Que esta mulher valorosa seja sempre respeitada por suas boas obras, em toda a cidade.”

Há um costume judaico do marido presentear sua esposa todas sexta-feiras antes do escurecer com flores ou outro presente. Também é costume que o marido presenteie-a toda véspera de início de mes. Temos festas o ano todo, Rosh Hashana, Simcha Torah, Sucot, Chanuca, Purim, Pessach, Shavuot e em cada uma destas festas a mulher é presenteada. O bom judeu faz como Avraham, Abraão, e sempre ouve sua mulher em suas decisões. A mulher judia é como a mais valiosa jóia.

Vejam só: Você vai à feira fazer compras. Todos os produtos importantes e simples estão expostos e são oferecidos aos gritos pelos seus vendedores. Qualquer pessoa pode pegar, apertar, cheirar e se tiver dúvidas pode também experimentar, comer um pedacinho antes de decidir sobre a compra. Pense na barraca de cebolas. Cebolas ficam amontoadas em um saco de estopa e também esparramadas na banca. São baratinhas e qualquer pessoa pode comprá-las durante o ano todo. As mais bonitas podem estar murchas, então todos apertam para confirmar. Aquela cebola que você prefere já foi apertada por todos os outros que estiveram antes e foi rejeitada. Você também pode rejeitá-la, basta deixá-la de lado e pegar outra. Mas não demore a chegar na banca das cebolas por que antes do fim da feira elas começam a cheirar mal. Ao fim da feira elas são jogadas de voltas nos sacos de estopa, carregadas nos ombros dos funcionários e jogadas no caminhão e lá ficarão até a próxima feira.


Vejam mais:
Um conhecido nosso foi até uma loja comprar um presente para sua esposa. Era uma joalheria. A porta estava fechada, ele tocou o interfone e foi atendido por um segurança. Depois de explicar o que queria, foi autorizado a entrar. Em seguida foi orientado a dirigir-se a uma sala ao lado e preencher um formulário e anexar documentos. Antes de iniciar o preenchimento concordou em ser revistado. Além da porta com verificação de metais o segurança passou em volta de todo o seu corpo um bastão para refinar a verificação inicial. Preencheu seu nome completo, endereço, telefones, números de documentos, se pretendia comprar um produto e que produto pretendia comprar, qual era seu motivo, para quem seria e qual a faixa de preço e se já tinha horário marcado. O formulário perguntava também quem indicou aquela loja e como soube da existência dela. Depois de tudo preenchido foi convidado a aguardar um vendedor que o atenderia. Alguns minutos mais tarde chegou um vendedor que ofereceu-lhe água, café e perguntou se desejaria alguma outra coisa. Depois o vendedor fez mais algumas perguntas para completar as informações do formulário. Já sabia que o presente seria para a esposa. Queria saber se nosso conhecido já sabia exatamente o que comprar e quanto estaria disposto a gastar. Quiz saber a idade da esposa e se ela tinha um gosto particular por jóias. Esta entrevista demorou algum tempo.
Depois disto o vendedor informou-lhe que iriam para um andar onde estavam as jóias desejadas pelo nosso conhecido. O vendedor chamou um outro funcionário e solicitou-lhe através de um formulário assinado, que trouxesse as jóias relacionadas no formulário. Este funcionário dirigiu-se a um outro e ambos assinaram o formulário e dirigiram-se a um armário em cuja porta tinha duas fechaduras especiais. O primeiro funcionário abriu uma fechadura e o segundo abriu a segunda fechadura. Retiraram as jóias solicitadas, repetiram o procedimento anterior para fechar a porta. E levaram as jóias com o formulário ao vendedor, que assinou o recebimento.
Agora sim nosso conhecido pode ver as jóias pretendidas uma a uma enquanto o vendedor colocou-se a uma certa distância e observava-o. Nosso amigo chamou o vendedor, pediu algumas informações e sugestões. Perguntou se poderia ver todas as jóias e escolher o que queria olhando ao invés de um procedimento tão formal onde apenas algumas jóias eram-lhe mostradas. O vendedor convenceu-o de que este é o melhor método. Nosso conhecido escolheu uma jóia. O vendedor disse-lhe que uma jóia não pode ser mostrada a todos que tem curiosidade, mas apenas aos que demonstraram interesse anterior por ela, que existe uma jóia para cada pessoa e para cada ocasião ou epóca, que a exposição excessiva não combina com objetos valiosos como as jóias e que também não é aconselhável desejar uma jóia que não é a pretendida. Com estas explicações nosso amigo foi para casa feliz, com a certeza de que estava levando para sua esposa um presente que recebia na loja um tratamento que combinava com suas próprias idéias.
Nosso leitor atento às nossas palavras já deveter percebido a diferença entre as cebolas e as jóias.
A mulher judia é uma jóia preciosa. Outras mulheres também podem ser assim tão especiais. Mas a mulher judia é sempre preciosa. E é tratada assim.
Quero lhes contar uma comparação escrita pelo rabino Shimshon Dovid Pincus em seu livro Nefesh Chaya. Ele compara o casal judaico à uma Palmeira. A palmeira é uma árvore que cresce muito e tem uma vida muito longa. Em todas cidades, se existem palmeiras, sempre há alguma centenária. As palmeiras centenárias são muito altas e seu tronco é muito largo. Lá no alto, estão as folhas e seus frutos, os cocos. Qualquer pessoa se impressiona com esta grandeza.
Ninguém vê, mas é facil imaginar que para uma planta gigante assim se manter em pé, necessita de um sistema fortíssimo de raízes. Então toda a imponência da Palmeira não seria nada se não fosse a sustentação forte de suas raizes. O rabino compara o homem à parte exposta e relaciona a grandeza do homem à existência de uma mulher fortissima como as raizes das palmeira.
Nós queremos acrescentar que a discreção e o recato da mulher judia deve ser comparado às joias bem guardadas ou às fortissimas raizes. Este recato e discreção são encontrados em rainhas, em pessoas tão valiosas que não se expoem aos olhares e ao alcance de qualquer um. Reserva-se em seu mundo, ao lado de outras jóias.
Será possível que alguém ainda tenha dúvidas de como é a mulher judia? Vamos falar mais um pouquinho então. Ela é considerada espiritualmente superior ao homem. Acompanhe este exemplo: todo judeu deve rezar três vezes ao dia em horários fixos e pré-estabelecidos com o rigor de lei. Também deve dizer a cada dia no jmínimo cem bençãos. Mas a mulher judia, espiritualmente superior, está dispensada destas obrigações. Consideramos que cada ato da mulher é importante como as rezas e com tantos atos a cada dia, ela não precisa parar para rezar nos horários fixos. Mulher judia, ser especial

Portanto atenda meu pedido:
Se você é um judeu e está afastado inscreva-se neste site. Nós iremos até você.
Se você conhece algum judeu nestas condições peça-lhe para se inscrever aqui.
E se você pensa que é judeu, que sua mãe era judia, ou que seus avós eram judeus, ou que de alguma forma tem ascendência judaica, inscreva-se aqui. Você estará ajudando-nos a salvar vidas. Por outro lado, se não se enquadrou nestas condições, mas é simpatizante de nossa causa, clique em “contate-nos”, acima, e envie-nos sua mensagem. A sua participação será muito importante para todos nós.