PALAVRAS DO REBE YEHUDAH
Voltem para casa

Vamos pensar em um feriado com praia lotada. Você e sua família decidiram levar as crianças à praia. Vocês tem alguns filhos pequenos, digamos, por exemplo 4 filhos. Eles tem 3, 4, 5 e 6 anos. Eles querem brincar. Vocês sabem o perigo de uma criança se perder na praia afastando-se dos pais. Existem muitos perigos. Podem ir ao mar, muito perigo. Podem se distanciar e não enxergar os pais para voltarem. Perigo. Com tantas crianças e cada uma querendo ir numa direção e brincar de brincadeiras diferentes, cada qual compatível com sua idade e estando a praia cheia de tantas pessoas, o que será correto fazer? Os pais se dividem e cada um olha alguns filhos, mas mesmo assim pode ser difícil. Vocês sabem a facilidade que as crianças tem para sumir de vista. Quem nunca ouviu o alto-falante de algum supermercado ou shopping anunciar o desaparecimento ou o aparecimento de crianças perdidas?
Como vocês são inteligentes criaram um sistema de vigilância excelente que funciona assim:
Em cada criança vocês colocaram um sininho suficientemente estridente e testaram muito em casa. Cada passo de cada criança pode ser ouvido a uma certa distância, mesmo em um local barulhento. Depois de muitos testes concluiram que até a uma distância grande é possível ouvir os sinos e sairem correndo em busca das crianças.
Para melhorar o sistema vocês escolheram um apito. As crianças podem de muito longe ouvir o apito e sair ao encontro de vocês. Como vocês são muito inteligentes também testaram o apito e concluiram que a mesma distância grande em que conseguem ouvir os sinos, as crianças também conseguem ouvir o apito. Se alguma sair do alcance dos olhos vocês imediatamente tentam ouvir o sino e saem correndo naquela direção. Sempre deu certo e vocês sempre alcançaram as crianças nos testes feitos.
Agora vocês repetiram a mesma experiência, mas desta vez testando o apito. Quando uma criança se afastou o suficiente não estando mais ao alcance dos olhos, desta vez tocaram o apito repetidamente. Em alguns minutinhos a alegria voltou aos olhos. Lá estavam os 4 filhos de volta. O teste foi repetido e sempre deu certo. Associando o ouvir dos sinos com os toque do apito o sistema mostrou-se perfeito e os pais sentiram-se seguros para irem às praias, shoppings e quaisquer passeios, sem medo de perder oa crianças.
Passearam alguns tranquilos e passaram a divulgar a eficiência do sistema. O marido pensou em patentear. A esposa ficou orgulhosa. Que marido inteligente! A maior parte dos seus amigos fizeram a mesma coisa e de apito e sinos sempre passearam e viajaram tranquilos.
Algo deve ter dado errado e nem voces, nem seus amigos conseguem saber porque. O noticiário está divulgando há muitos meses. Já estiveram em todas delegacias. Os salva vidas garantem que nenhuma pista foi encontrada. Muito resistentemente voces procuraram em quase todos os necrotérios. Os amigos, familiares, colegas de trabalho e todos que os conhecem não se conformam. Ninguém entende. Ninguém aceita. Ainda mais com vocês que sempre foram tão cuidadosos, tão atenciosos. Os colegas de escola fazem plantão e revesam-se para consolá-los.Os filhos de 14, 15 e 16 anos misteriosamente desapareceram.
O marido está com os lábios inchados e já não tem mais forças de tanto tocar o apito. Mas, nenhum deles retorna. O que aconteceu? Eles não ouvem o apito? O sistema não é bom?
Infelizmente 10 anos depois, quando ninguém esperava, os filhos se distanciaram e não foi possível ouvir os sinos. Marido e mulher desesperaram-se e correram em todas as direções tocando o apito. Fizeram silêncio e tentaram ouvir os sinos. Nem o apito trazia os filhos, nem os sinos eram escutados. A mãe passa todas as noites acordada. No silêncio da noite espera ouvir mesmo de longe, mesmo remotamente um pequenino barulho do sino. Não ouvem. Desesperadamente sopram mais forte o apito. Em seguida ficam em silêncio. Com o forte apitar talvez os filhos tenham ouvido e agora estão se movimentando e os sinos farão ruído, eles ouvirão… Mas, nenhum sino é ouvido… Onde estarão? Foram sequestrados? Viajaram?
Meses depois apenas um filho em casa. Todos tristes porque os outros não voltaram. Anos depois e somente um filho ainda. Os outros ainda não voltaram. Muitos anos se passaram. Nem a mãe, nem o pai perderam a esperança. Os filhos que se distanciaram voltarão para casa. Eles tem certeza disto. Continuarão sempre procurando e suas forças sempre serão intermináveis. A mãe grita: – Filhos voltem! O pai grita: -Não importa o que vocês fizeram, nem aonde estão. Voltem, nós os esperamos. Nós os queremos de volta!!!
Rebe Yehudah quer encontrar os judeus que se afastaram e nem sabemos onde se encontram. Rebe Yehudah não consegue ouví-los, ninguém sabe onde estão. São muitos os distantes. Como lemos acima, a maior maior está muito distante e não conseguem ouvir nossos chamados, nossos apelos. Mas nossa esperança está cada vez maior e queremos encontrá-los. Ajudem-nos, deem-nos pista. Filhos, voltem, nós os esperamos. Nós os queremos de volta!!!

Portanto atenda meu pedido:
Se você é um judeu e está afastado inscreva-se neste site. Nós iremos até você.
Se você conhece algum judeu nestas condições peça-lhe para se inscrever aqui.
E se você pensa que é judeu, que sua mãe era judia, ou que seus avós eram judeus, ou que de alguma forma tem ascendência judaica, inscreva-se aqui. Você estará ajudando-nos a salvar vidas. Por outro lado, se não se enquadrou nestas condições, mas é simpatizante de nossa causa, clique em “contate-nos”, acima, e envie-nos sua mensagem. A sua participação será muito importante para todos nós.